segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Sobre estar oca... Eu sei!


Vira-se de um lado, vira-se do outro... O relógio marcam 3:00 da manhã e você não consegue desligar seus pensamentos, não consegue á quietude que tanto seu corpo pede e precisa para poder descansar. São centenas os pensamentos, o que foi, o que é, o que será... da sua vida, da suas vivências, dos que te cercam, reler cartas antigas só mostram o quanto o tempo passou e seus sonhos ainda são.. apenas sonhos, o tempo é indelicado ás vezes. E no meio desse turbilhão, você se vê oca, contraditório não? Mais você se pega estagnada devido á sua realidade atual, querendo idealizar inúmeras vontades, viajar, conhecer lugares, culturas e idéias novas, se reinventar, se renovar, e não podendo, então você se sente miúda demais, desinteressante e sem graça... não é justo de sentir dessa maneira, quando já se sentiu completamente o oposto, não é justo se sentir tão oca, não sabendo externa tudo que existe ali dentro, quando o que se tem vai muito além do que se pode expressar, até mesmo em palavras, não é justo desmerecer-se á esse ponto! Mais nessa madrugada foram esses os sentimentos que vieram á me visitar, todos de uma vez, sem conseguir encaixa-los ou guarda-los para depois reavalia-los e pode-los colocar em seus devidos lugares. Sei que é só uma fase, e provavelmente passará, mais á fragilidade e a inquietude que esses momentos provocam, são um tanto perturbadores, á mente e á alma!