domingo, 14 de julho de 2013

"Cabeça vazia, oficina do diabo..." Será?


Indo almoçar, e a velha mania de ouvir conversas e comentários alheios á rua e consequentemente comentar sobre os mesmos em pensamentos. Um senhor dizia "Ela tá com depressão, em casa também, sem ocupar a cabeça é aí que o diabo vem e toma conta...". No mesmo instante lembrei do ditado "cabeça vazia, oficina do diabo", ai logo em seguida pensei... Será?
Vivemos em constante correria, atribulado com coisas do cotidiano que não temos tempo de pensar em nós! Um ato que deveria ser simples, mais torna-se nada, perto de tantos afazeres. É na quietude que á verdade se encontra, é no silêncio e na solidão que isto acontece. Quando estamos sozinhos, os pensamentos nos invadem e eles são inúmeros, muitos vem como uma avalanche em nós e de milhares de formas possíveis... aquele sonho não realizado, e simplesmente arrastado para debaixo do tapete, aquele pedido de desculpas que não foi dito por orgulho, aquela oportunidade que foi deixada para trás, um amor, um dia, ou simplesmente um minuto em que tudo poderia ter sido diferente. Podem parecer pequenezas em vista de uma vida inteira que se tem lá fora, onde os minutos e os segundos são cruciais e onde "tempo é dinheiro"... mais ás cobranças vem, e paro para pensar! O tal do diabo não seria á nossa consciência gritando dentro de nós? aquele grito sufocado, esmagado que tanto nos negamos á escutar? Não seria á nossa consciência aproveitando um pequeno momento de descuido nosso para nos cobrar todas aquelas pequenezas que negamos e simplesmente varremos para debaixo do tapete por tomar nosso precioso tempo?
É no silêncio e muitas vezes na solidão que nos encontramos, que fazemos á tão temida e desconhecida viagem, aquela na qual não conhecemos absolutamente nada e que tantos nos assustamos ao adentrar... ao nosso interior. Um lugar até então inóspito, estranho e que pouco á pouco vamos desvendando, descobrindo como funciona. Parece estranho tudo isso, mais muitos temem á solidão, pensar ás vezes é padecer, á consciência ás vezes é cruel conosco e muitos nessa viagem ficam sem saber como lidar direito com tantas cobranças, e descobertas, passado, presente e futuro, turbilhão de sensações e sentimentos te invadindo e é tudo extremamente novo e muitas vezes o pani é resultado disso tudo e é onde muitos estagnam, uns por um dias, outros por meses, outros por anos, cada ser humano tem o seu próprio relógio que merece ser respeitado! A nossa consciência é cruel, á viagem á nosso interior também, cheia de altos e baixos, porém ao fim dela você você saí mais inteiro, se conhecendo mais, com uma visão diferente de você, das pessoas e do mundo á sua volta, não é uma viagem fácil e provavelmente depois da primeira muitas outras ocorrerão, mais estas serão menos estranhas, menos temerosas, por que já não será um lugar tão estranho, e á cada final dela você saíra cada vez melhor e se conhecendo um pouquinho mais, e esse tempo, perdido com você, se conhecendo, não á nada nem dinheiro no mundo que pague!

Nenhum comentário:

Postar um comentário