sábado, 29 de junho de 2013

"Devia ter amado mais..."


Hoje você veio me visitar através de lembranças. Lembranças remotas de infância, á alegria de dias simples, de passeios de carros, eu sempre digo, "ah, se saudades falasse, á minha gritaria!"
Oito anos já se passaram este ano. Oito anos que o senhor se foi, deixando um vazio em nossa família que ninguém nunca vai substituir. Sempre que lembro de ti, além da saudades e das lágrimas, sinto um aperto enorme no peito, por tê-lo tanto julgado, sem saber até mesmo pelo que estava-o julgando, religiões malditas, sempre nos afastando de quem amamos, e nos fazendo lavagem cerebral, mais quando se é criança, não se tem muita percepção disso, e hoje vejo o quanto deixei de aproveitar sua companhia, de conversas, de conselhos, e essa onda de arrependimento me invade, me toma junto com á saudade e as lágrimas, é impossível segurar. A falta e a saudade são imensas.
Sabe Sr. Olívio, ás vezes pego pensando em como seria se o senhor ainda estivesse aqui, não que o senhor não esteja, pois isso eu tenho á certeza que está, mais me refiro á presença física, vendo os pequenos crescerem, acompanhando, assim como me acompanhou, os primeiros passos, quando aprendi a andar e saia do berço, do quarto dos meus pais e me enfiava no meio de você e da vó, a Lari faz isso vozinho, hoje a companhia da Vó é a Larissinha. Fico me perguntando como seria jogar uma partida de buraco com o senhor, um dos vícios da família Barros rs... e me pergunto, quantas broncas o senhor me daria por deixar um jogo passar, e por não ter feito uma limpa, ou batido quando poderia... Quantos momentos já não vivi através destes pensamentos e interrogações, sei que você nos olha e nos acompanha de onde quer que esteja, mais ás vezes á saudade fala mais alto, e a vontade de poder te dar um abraço e um beijinho na careca é maior e infelizmente, neste plano, não poderei mais fazer isso. Sabe Vô, mesmo com a partida dolorosa, o senhor foi me ensinando, me ensinando que á vida é curta demais para não dizer o quanto amamos ás pessoas que nos rodeiam, curta demais para não dizer isso na hora que sente vontade de dizer, e as vezes até usar palavras repetidas como na letra de uma música do legião quando Renato canta "sei que as vezes uso, palavras repetidas, mais quais são as palavras que nunca são ditas?" ainda mais quando essas palavras repetidas e tão tidas são "eu te amo", "sinto sua falta", "queria que você estivesse aqui", "te gosto tanto" entre tantas outras que expressam e passam as pessoas que amamos um sentimento bom, aquele sentimento do quão elas são e representam em nossas vidas, mesmo partindo o senhor me deixou essa lição. Ás vezes sinto sua presença perto de mim, e sei que quando as lágrimas vem e rolam pelo meu rosto o senhor sabe que estou pensando no senhor e sinto saudades, e é nestes dias que me vem as lembranças mais remotas e mais doces nossas, e mesmo com lágrimas nos olhos eu sorrio, com a certeza no coração de um dia nos encontrarmos! Te amo, para sempre!

Um comentário:

  1. Entendo sua saudade e sei que dói. Porque por mais que sabemos que "estar perto não é físico", gente sente falta o cheio, do abraço, da cumplicidade do olhar.

    ResponderExcluir