segunda-feira, 25 de julho de 2011

"Os seres humanos me assombram...."


" ... tive vontade de perguntar, como uma mesma coisa podia ser tão medonha e tão gloriosa, e ter palavras e histórias tão amaldiçoadas e tão brilhantes..."

Como já dizia Markus Zusak em: A menina que roubava livros.


O ser humano realmente me assombra. Desde de simples palavras, as mais cruéis atitudes. Realmente, cheguei á um ponto, que não sei mais o que pensar da humanidade, não sei mais o que dizer sobre as pessoas, sobre o ser humano em sí. Tenho medo deles, dos desconhecidos, dos mais íntimos. São tão imprevisíveis...

A mesma mão que te afaga de um lado, pode ser á mesma que te apunha-la do outro. É difícil imaginar que aquela pessoa que você tanto ama, que te faz tão feliz em inúmeros momentos, pode ser á mesma que por trás usa palavras que se ditas em sua presença, te feriria mais que uma facada. Mais o mais triste é pensar na hipótese que ela pode dizer-las fora de sua presença. E só de imaginar isso me doí muito. A sociedade me adoece. Pessoas preferem desejar á morte de outras pessoas, de ícones famosos, apenas por que um de seus ídolos partiu e não fora aquele na qual á imagem não lhe agrada. É horrivel isso, desejar á morte de alguém seja de quem for apenas por que á figura daquela pessoa não lhe agradou os olhos. Vejo falsidade, vejo hipocrisia, vejo pessoas que dizem palavras doces olhando em seus olhos. Mais, muitas vezes por trás, essas mesmas palavras pode estar servindo de piada para aquela mesma pessoa que olhou outrola nos seus olhos com ternura e ás pronunciou. Eu odeio imaginar que já passei por isso. Mais esse é o ser humano de hoje em dia, essas são as pessoas do século 21. E achar que você será uma exceção é ingenuidade. Mais as mais sensíveis sempre sofrem mais. Pois amam mais intensamente e verdadeiramente. Digo isso, pois sou assim. Jamais teria coragem de dizer quaisquer palavras feias por trás das pessoas que eu amo, ou debochar, ou qualquer atitude que eu não desejaria que dissessem ou fizessem á mim. Aquela frase "O que eu não quero para mim eu não faço, nem digo para os outros" Deveria se tornar um mantra na vida das pessoas, com certeza elas tomariam mais ciencia dos absurdos que saem de suas bocas e pensariam mais. Palavras podem mudar vidas, mais também pode destruí-las de uma forma avassaladora.
Eu realmente não tenho mais fé na humanidade, não tenho mais fé nas pessoas. Quanto mais eu vivo, quanto mais os dias e os anos passam, quanto mais eu conheço as pessoas, mais me convenço disso. Por trás daquele rosto aparentemente sincero, pode existir uma máscara, por trás daquele afago, pode existir um punhal. Talvez uma pequena, pequinina mesmo porcentagem se salve, talvez essa seja á minha valvúla, minha única valvúla de esperança, quando o assunto são seres humanos.

6 comentários:

  1. Um texto muito bem escrito, Aline. Sabe, assim como você, também fico assombrada e muito triste em ver do que o ser humano é capaz. Como certas atitudes e pensamentos são tão feios, tão maldosos, falsos e como isso é tão prazerosos para eles. Mas apesar disso, ainda assim eu acredito nas pessoas, talvez eu esteja sendo ingenua, mas por traz de tantas coisas ruins, ainda vemos alguns gestos de bondade, amor e generosidade, mesmo que seja em escala bem menor. Eu espero que você ainda tenha um pouquinho de fé também, nem que seja só um pouquinho. Afinal, fazemos parte do mundo e ninguém vive sozinho, e não confiar em ninguém é muito triste. O ser humano na maior parte do tempo mostra o seu pior lado, erra com uma frequência absurda, mas às vezes também são capazes de nos surpreender positivamente e isso me faz querer acreditar.

    Um beijinho, minha linda! s2

    ResponderExcluir
  2. Infinito Particular não é só um blog,deveria ser sinônimo de sensibilidade.hadassamazaltov@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Penso assim como você, humanos me assustam.

    ResponderExcluir
  4. Seu texto foi incrível. Eu concordo plenamente com você, e por muitos anos eu me odiei como odiava a raça humana. Os humanos são seres tão pequenos, egoístas, viciados em violência, sujos tanto por dentro quanto por fora. Eu já conheci pessoas ótimas na minha vida, mas as vezes eu tenho medo do que elas podem fazer, ou medo do que eu posso fazer, pois eu também sou um humano e não estou livre da nossa loucura natural. Muitas vezes antes de dormir, eu me pergunto se o mundo que temos é o que sempre quisemos ter ou se ele sempre era pra ser assim, se existe algum tipo de salvação para a humanidade, se não existe salvação, se toda a raça humana deveria morrer ou se ela merece uma segunda chance. Mas a pergunta que mais machuca a minha cabeça é: por que nós somos assim? Eu acho que eu sei porque as pessoas sempre gostam de rir e ignorar tudo o que existe ao redor delas: pois se elas se preocupassem e logo lembrassem da sua impotência perante a maioria das coisas, elas enlouqueceriam, como eu estou muito perto de enlouquecer. Humanos me deixam assustado e com raiva.

    ResponderExcluir
  5. Seu texto foi incrível. Eu concordo plenamente com você, e por muitos anos eu me odiei como odiava a raça humana. Os humanos são seres tão pequenos, egoístas, viciados em violência, sujos tanto por dentro quanto por fora. Eu já conheci pessoas ótimas na minha vida, mas as vezes eu tenho medo do que elas podem fazer, ou medo do que eu posso fazer, pois eu também sou um humano e não estou livre da nossa loucura natural. Muitas vezes antes de dormir, eu me pergunto se o mundo que temos é o que sempre quisemos ter ou se ele sempre era pra ser assim, se existe algum tipo de salvação para a humanidade, se não existe salvação, se toda a raça humana deveria morrer ou se ela merece uma segunda chance. Mas a pergunta que mais machuca a minha cabeça é: por que nós somos assim? Eu acho que eu sei porque as pessoas sempre gostam de rir e ignorar tudo o que existe ao redor delas: pois se elas se preocupassem e logo lembrassem da sua impotência perante a maioria das coisas, elas enlouqueceriam, como eu estou muito perto de enlouquecer. Humanos me deixam assustado e com raiva.

    ResponderExcluir