sábado, 21 de maio de 2011

A Dona do sorriso que lhe fazia sorrir,



 Era uma sexta. Ela estava sozinha e com frio.
Ela pensava... em dias felizes, em risadas, em um sozinho em especial que á fazia tirar o fôlego.
Mais, sua alegria, era ao mesmo tempo sua dor. Ela amava a dona do sorriso que lhe tirava o fôlego, que lhe deixava com as mãos frias e borboletas no estômago. Ela á amava, porém, se negava.
Se negava a aceitar esse fato. Mais um sofrimento, mais um amor errado. Um amor lhe causaria dor.
Não era justo isso com ela. Não era justo que mais uma vez seu coração sangrasse. Enquanto seus lábios eram obrigados á sorrir. A dona do sorriso que lhe dava borboletas no estômago, tinha outra pessoa, que tinha outro sorriso que provávelmente também lhe causava borboletas no estômago.
E isso á deixava ao mesmo tempo alegre e triste, pois ela sabia que a dona do sorriso que lhe fazia sorrir, tinha outra pessoa que tinha também um sorriso que lhe fazia sorrir, isso á deixava feliz. O que a entristecia mesmo, era que ela não era a pessoa na á fazia sorrir, nem lhe tirar o fôlego, nem lhe causar borboletas no estômago.
Mais, mesmo assim, sozinha e com frio, naquela sexta... com seus pensamentos. Ela estava feliz, pois sabia que a dona do sorriso que lhe fazia sorrir. Estava tambem feliz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário