terça-feira, 12 de abril de 2011

"Eu quis querer o que o vento não leva. Prá que o vento só levasse o que eu não quero..."


Parece que esse trecho da música do Paralamas foi feito para mim...
Em poucas palavras ele descreve bem o que eu sinto. Vejo o tempo como o vento...
Ele levou tudo o que eu amava. Minha inocencia, minha alegria, minha pureza... Levou com ele também as raízes que eu estava começando a criar, quando senti que realmente estava criando raízes e me fortalecendo. O tempo levou. Levou algumas pessoas por um tempo que quase me matou, mais ás trouxe de volta, inclusive á que eu mais sentia falta, á que me cortava á alma quando eu pensava em nunca mais ver, ou ouvir á voz, mais acho que vendo  como eu fiquei, o tempo teve dó de mim, e me trouxe isso. O tempo nos muda em variadas formas, nos tira coisas bouas, momentos bons... tornando-os apenas passado. Meras e doces lembranças em nossas memórias, ou na minha ao menos. Vivo de memórias hoje em dia, sou a nostalgia em pessoa. Mais isso não é mal. É o que me restou... o que restou de mim do passado. É no que eu me apego quando me sinto vazia, quando quero sorrir e não consigo. São as lembranças que me consolam. Ao mesmo tempo que elas me cortam, elas são meu remédio. Ao mesmo tempo que me ferem e me tiram o ar, a dor de saber que tudo o que eu tinha, e que o tempo levou, não voltará... elas são meu antidoto, pois eu sei que eu ás viví, e viví intensamente. Ás vezes me pego pensando sem perceber naqueles dias. Um momento, uma brincadeira, um gesto, e principalmente um sorriso. Um sorriso que me fazia esquecer as coisas sem perceber, que não me cansava de olhar. São lembranças apenas, mais guardo isso comigo como um tesouro que ninguém, nunca poderá arrancar de mim. As situações mudaram, os tempos são outros... Mais eu ainda os reconheço, e principalmente... á reconheço. Hoje o que me alegra é ter os que eu amo comigo de volta, todos. De familiares que me preenchem, á meus antigos amigos que aous poucos o tempo me trouxe de volta... a pessoa que eu mais queria... Ver quem você ama feliz, mesmo sabendo que essa pessoa jamais te veria com os olhos que você á vê, talvez simples olhos de admiração... não sei, mais sei que tem amor, e isso me basta. Ver esse alguém feliz e bem já me basta..
Tenho pensado bastante se um dia terei a minha tal plena felicidade novamente. Tenho sentido que não viverei, ou não estarei mais aqui até tê-la novamente. Realmente são sentimentos estranhos esses. Mais eu não me surpreendo, nunca vivi o que outras pessoas viveram, nunca encherguei, como outros enchergaram... e nunca me senti, como outros se sentiram. Não sou melhor, nem pior que nínguem por isso, sou apenas eu. Isso é apenas quem eu sou. Vou seguindo assim, até o dia que eu encontre meu lugar, o lugar onde eu possa chamar de meu... e alguém... alguém.. uma pessoa que eu possa chamar de minha. Alguém que retribua o que sinto. Apenas isso. só isso.