terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O amor não escolhe sexo


A sociedade cria conceitos e padrões desde o íncio dos tempos, e nós, humanos, somos obrigados a segui-los, se não, somos considerados "anormais" perante eles, algo fora do padrão, mal produzido que não "funciona" direito, que não se enqradra.
Existem vários tipos de conceitos: Rosa, é para meninas. Azul, para meninos. Carrinho é de meninos. Boneca de meninas. E se for o inverso, automáticamente já se diz que a criança tem problema, que terá um possivel distúrbio de sexualidade e etc.. quando, na verdade, não passa de uma simples brincadeira ingênua entre crianças, quando um menino brinca de boneca, uma menina de carrinho etc, quando os papéis se invertem. Os próprios pais plantam o preconceito nos filhos, dizendo que aquilo é feio, que não pode etc e tal.
Eis que a criança cresce, e entra na adolescencia, fase de amores, de dúvidas, de mudanças, ela percebe que não é como os outros, que sente algo á mais por aquele amiguinho, ou amiguinha do mesmo sexo, que não é apenas um simples ciume de amiguinhos, a adolescencia vai passando, e a pessoa tem certeza que sente atração, que ama o ser do mesmo sexo que ele, e então, decide contar aos pais. Ao fazer isso, pensando em pedir ajuda as pessoas que mais lhe deveriam estender á mão nesse momento tão frágil, tão novo, para que possa ajuda-lo a entender tudo aquilo, os pais simplesmente se revoltam, e mandam a um psicólogo, muitos até á um médico, achando que o que o filhos, ou a filha tem, é uma doença, um distúrbio, uma pertubação da adolescencia. O adolescente cresce, se torna adulto, e mantém distancia daqueles que mais deveria continuar sempre ao seu lado, seus pais, pelo simples fato de não conseguirem ver seu filho feliz, por ele estar com uma pessoa do mesmo sexo, não conseguem entender como o seu filho, aquele na qual eles criaram com tanto amor, se torna algo tão fora do padrão, como se tornará. Um homossexual, alguém que mantém um relacionamento com uma pessoa do mesmo sexo. O tempo passa, e apesar de os país não conseguirem compreender ainda a opção de seus filhos/filhas, o aceitam de volta, e aos poucos, vão lutando contra o que de fato é uma doença, o preconceito.
Deus fez o homem e a mulher, para juntos formarem uma família, sim. Muitos se utilizam disso para dizer que a homossexualidade é uma doença a ser tratada, mais não é. Pessoas um pouco mais instrídas e inteligentes sabe muito bem que Deus jamais desprezaria um de seus filhos, apenas por amar alguém do mesmo sexo. Tantas outras coisas mais triste, cruéis e horríveis acontecem por aí, que Deus fica triste, por que ele ficaria triste em ver o amor brotar em dois seres, apenas por serem do mesmo sexo?
Um pai matar um filho, um filho matar um pai, uma mãe que joga seu bebê na lata do lixo por simplesmente não quere-lo, traficantes que intopem caminhões de drogas para vender em outro estado para destriuir vidas de jovens, egoismo, inveja, ódio.. isso não é motivo para deixar Deus mais triste, do que ver duas pessoas que se amam, porém são do mesmo sexo, juntas? O que é considerado mais triste, qual das opções é o real pecado?
O amor não escolhe sexo, o coração não escolhe quem vai amar. Quando se ama alguém, os sentimentos não define sexo, idade, cor, status. Simplesmente existe o amor, alegria de se estar com aquela pessoa, que nos faz tão bem. O nosso sexo é feminino e masculino, a nossa permanencia é humana. Agora, nosso amor, quem iremos amar, é outra história, não se pode recriminar, muito menos julgar alguém apenas por essa pessoa estar com alguém do mesmo sexo que ela, afinal de conta, elas se amam. Precisa de mais?  Estão felizes juntas, precisa algo mais? Muitos deixam a felicidade de lado por não aceitarem esse sentimento tão lindo que é estar amando, muitos se escondem por achar que são anomalias. A sociedade com os seus conceitos e preconceitos idiotas fazem uma lavagem cerebral na mente do ser humano, e a grande maioria deixa de ser feliz, deixa de ser o que é, deixa a sua essencia, e os que amam de lado, deixam de serem felizes.. de viverem, por simplesmente fugirem do padrão, do que a sociedade estabeleceu que é certo, e errado.
Felizes são aqueles que ultrapassam essa linha de pensamento medíocre e ordinário, felizes são aqueles que não temem serem felizes e se lançam contra esse padrões horriveis, felizes são aqueles que mantém suas mentes, seus corações abertos e principalmente mantém sua essencia intacta, limpa dessa lavagem cerebral toda, e se permitem serem felizes. Afinal de contas, a vida é isso. Amor e felicidade. Sem eles, o ser humano suncumbi aos poucos. Não se permita isso, permita-se ser feliz, permita-se viver e ... Foda-se os outros!



"Se pudessem ver pelos meus olhos. Ter aguém com quem se importe e que se importe com você e faz com que não se sinta tão sozinha nesse mundo. Importa quem seja a pessoa?".
(Filme - A verdade sobre Jane)

Nenhum comentário:

Postar um comentário