quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Simplesmente Clarice!


"O atalho com sombras refrescantes e reflexo de luz entre as árvores, o lugar onde eu possa ser eu, isso eu ainda não encontrei. Mas de uma coisa eu sei: o meu caminho não sou eu, é outro; é o outro. Quando eu puder sentir plenamente o outro estarei a salvo e direi: eis o meu porto de chegada..."

(...)

"Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer…"



- Clarice Lispector


Não á outra ser que me entenda e me defina mais que ela.


Clarice se tornou, aos olhos de muito uma escritora Clichê, por ter suas frases copiadas em diversos sites de relacionamento, blog's e etc..
Mais, apenas os que sabem o que suas frases siginificam para sí mesmo.. O que ela significa para a própria pessoa, entendem, e tem essa magnifica empatia. Copiar frases, para parecer inteligênte aos olhos de outros, ler todos os livros já lançados com seu nome e saber de cor e saltiado sua biográfia, não fazem de alguém um real interprete da essencia de sua palavras... se nenhuma delas, não tiver um siginificado íntimo para a pessoa, se não a tocar de uma certa maneira.. se não a sentir, de verdade, de nada valerá tanto "conhecimento" sobre a própria!

Há alguém tentando me encontrar?


Há alguém tentando me encontrar?
Alguém virá me levar para casa?
Estou procurando um lugar
Estou procurando um rosto
Há alguém aqui que eu conheça?
Porque nada está dando certo
E tudo está uma bagunça
E ninguém gosta de ficar sozinho
por que tudo está tão confuso?
Talvez eu esteja fora de mim
Há alguém tentando me encontrar?
Alguém virá me levar para casa?

(Avril Lavigne)

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O amor não escolhe sexo


A sociedade cria conceitos e padrões desde o íncio dos tempos, e nós, humanos, somos obrigados a segui-los, se não, somos considerados "anormais" perante eles, algo fora do padrão, mal produzido que não "funciona" direito, que não se enqradra.
Existem vários tipos de conceitos: Rosa, é para meninas. Azul, para meninos. Carrinho é de meninos. Boneca de meninas. E se for o inverso, automáticamente já se diz que a criança tem problema, que terá um possivel distúrbio de sexualidade e etc.. quando, na verdade, não passa de uma simples brincadeira ingênua entre crianças, quando um menino brinca de boneca, uma menina de carrinho etc, quando os papéis se invertem. Os próprios pais plantam o preconceito nos filhos, dizendo que aquilo é feio, que não pode etc e tal.
Eis que a criança cresce, e entra na adolescencia, fase de amores, de dúvidas, de mudanças, ela percebe que não é como os outros, que sente algo á mais por aquele amiguinho, ou amiguinha do mesmo sexo, que não é apenas um simples ciume de amiguinhos, a adolescencia vai passando, e a pessoa tem certeza que sente atração, que ama o ser do mesmo sexo que ele, e então, decide contar aos pais. Ao fazer isso, pensando em pedir ajuda as pessoas que mais lhe deveriam estender á mão nesse momento tão frágil, tão novo, para que possa ajuda-lo a entender tudo aquilo, os pais simplesmente se revoltam, e mandam a um psicólogo, muitos até á um médico, achando que o que o filhos, ou a filha tem, é uma doença, um distúrbio, uma pertubação da adolescencia. O adolescente cresce, se torna adulto, e mantém distancia daqueles que mais deveria continuar sempre ao seu lado, seus pais, pelo simples fato de não conseguirem ver seu filho feliz, por ele estar com uma pessoa do mesmo sexo, não conseguem entender como o seu filho, aquele na qual eles criaram com tanto amor, se torna algo tão fora do padrão, como se tornará. Um homossexual, alguém que mantém um relacionamento com uma pessoa do mesmo sexo. O tempo passa, e apesar de os país não conseguirem compreender ainda a opção de seus filhos/filhas, o aceitam de volta, e aos poucos, vão lutando contra o que de fato é uma doença, o preconceito.
Deus fez o homem e a mulher, para juntos formarem uma família, sim. Muitos se utilizam disso para dizer que a homossexualidade é uma doença a ser tratada, mais não é. Pessoas um pouco mais instrídas e inteligentes sabe muito bem que Deus jamais desprezaria um de seus filhos, apenas por amar alguém do mesmo sexo. Tantas outras coisas mais triste, cruéis e horríveis acontecem por aí, que Deus fica triste, por que ele ficaria triste em ver o amor brotar em dois seres, apenas por serem do mesmo sexo?
Um pai matar um filho, um filho matar um pai, uma mãe que joga seu bebê na lata do lixo por simplesmente não quere-lo, traficantes que intopem caminhões de drogas para vender em outro estado para destriuir vidas de jovens, egoismo, inveja, ódio.. isso não é motivo para deixar Deus mais triste, do que ver duas pessoas que se amam, porém são do mesmo sexo, juntas? O que é considerado mais triste, qual das opções é o real pecado?
O amor não escolhe sexo, o coração não escolhe quem vai amar. Quando se ama alguém, os sentimentos não define sexo, idade, cor, status. Simplesmente existe o amor, alegria de se estar com aquela pessoa, que nos faz tão bem. O nosso sexo é feminino e masculino, a nossa permanencia é humana. Agora, nosso amor, quem iremos amar, é outra história, não se pode recriminar, muito menos julgar alguém apenas por essa pessoa estar com alguém do mesmo sexo que ela, afinal de conta, elas se amam. Precisa de mais?  Estão felizes juntas, precisa algo mais? Muitos deixam a felicidade de lado por não aceitarem esse sentimento tão lindo que é estar amando, muitos se escondem por achar que são anomalias. A sociedade com os seus conceitos e preconceitos idiotas fazem uma lavagem cerebral na mente do ser humano, e a grande maioria deixa de ser feliz, deixa de ser o que é, deixa a sua essencia, e os que amam de lado, deixam de serem felizes.. de viverem, por simplesmente fugirem do padrão, do que a sociedade estabeleceu que é certo, e errado.
Felizes são aqueles que ultrapassam essa linha de pensamento medíocre e ordinário, felizes são aqueles que não temem serem felizes e se lançam contra esse padrões horriveis, felizes são aqueles que mantém suas mentes, seus corações abertos e principalmente mantém sua essencia intacta, limpa dessa lavagem cerebral toda, e se permitem serem felizes. Afinal de contas, a vida é isso. Amor e felicidade. Sem eles, o ser humano suncumbi aos poucos. Não se permita isso, permita-se ser feliz, permita-se viver e ... Foda-se os outros!



"Se pudessem ver pelos meus olhos. Ter aguém com quem se importe e que se importe com você e faz com que não se sinta tão sozinha nesse mundo. Importa quem seja a pessoa?".
(Filme - A verdade sobre Jane)

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Mentes limitadas


Em pleno século 21 vemos cada dia mais as pessoas se limitando, fechando suas mentes para alguns assuntos. É triste você sentar e conversa com uma pessoa que já expoem um pensamento pré-concebido sobre determinado assunto que a própria nem se deu ao trabalho de se aprofundar, por puro preconceito, limitação. Seus conceitos são aqueles, e são apenas eles que valem. A pessoa não se abre á novas opiniões, não se permite aprofundar mais na questão, estabelece um ponto de vista, e nele se fixa, sem ao menos conhecer a essencia daquele determinado assunto, livro, filme, etc..
Eu realmente sou o tipo de pessoa que não tenho paciencia para estabelecer uma conversa com pessoas desse genero, é realmente difícil, estressante você iniciar uma convesa com pessoas assim, é desgastante, pois a pessoa não permite que você exponha seus conhecimentos sobre aquele determinado assunto, como você gostaria de expor, não se abre para aceita-lo e só o que conta é sua opinião, seu julgamento, seu argumento, e muitas ainda não satisfeita passam a usar palavras de baixo calão e ofensas pessoais para tentar manter sua opinião forte, inabalada e intocada, prevalecendo apenas ela, como única e certa.
Eu realmente tenho pena de pessoas assim, pois são pessoas com um mundo muito pequeno, muito limitado.
Quando sua mente se fecha, nada entra e nada saí, e apenas os seus conceitos prevalecem, você se torna alguém limitado. Sua mente se torna limitada, fazendo-a permanecer sempre em um único tamanho, em um estado imútavel, não diminui, mais também não cresce. Jamais permita que sua mente chegue á esse ponto, se permita sempre á descobrir, se aprofundar e conhecer coisas novas, assuntos novos e sua real essencia, não se deixe levar por modismo, nem outras mentes limitadas, seja você, e principalemente, seja um ser sempre em constante ânsia de descobertas. Permita-se!


''Quem só acredita no visível tem um mundo muito pequeno.''  
(Caio Fernando Abreu)


"A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original."
(Albert Einstein)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

"A gente tem tantas memórias...


Eu fico pensando se o mais difícil no tempo que passa não será exatamente isso. O acúmulo de memórias, a montanha de lembranças que você vai juntando por dentro."

(Caio Fernando Abreu)

domingo, 21 de novembro de 2010

Noite em claro


Olhei para o relógio, ainda eram 3:00 da manhã, levantei, desliguei o computador e fui para sala..
Liguei a televisão, e não havia nada passando. Domingo, nunca tem nada na televisão. Nenhum bom filme, ou seriado, nada do meu interesse ao menos. Mais deixei a televisão ligada e me deitei no sofá com minha coberta xadrez que minha mãe me deu. E mais uma vez, como em muitas outras noites como essa, me peguei penssando. Onde estaria agora, se tudo estivesse bem? Se eu não tivesse surtado esse ano, e parado a minha vida, estaria com meus amigos em algum barzinho? ou casa de show, com músicas ao vivo, jogando conversas fora.. talvez estivesse até namorando, encontrado uma pessoa legal que eu pudesse patilhar um pouco de minha vida, de meu amor. Será? Seria concerteza uma noite linda, eu adorava sair, rir, conversar, dançar.. Eu me lembro que eu gostava muito disso sim, apesar de grande parte do que eu era ter ido embora depois de todo esse surto maluco que eu tive, me recordo de como eu gostava de sair, e como, em noites e madrugadas como a de hoje, eu estava feliz, com pessoas que me faziam felizes, me faziam rir, por mais que meu dia, ou minha semana tivessem sido um fiasco total, quando estava com eles, tudo parecia simplesmente sumir. Eu simplesmente esquecia de tudo, e me permitia ser feliz.
Sim, claro, eu tenho minha família, e foi graças a eles que eu não me afundei por completo, pois muitos desses fins de semana, passei com eles, me divertindo, rindo com os meus pentelhos, aprontando. Mais aquela pequena partizinha de mim, sentia falta disso, de sair com aquelas mesmas pessoas que um dia eu tanto amei e fui feliz..
Obcessão? Talvez, não sei! Se esse for o nome que damos para pessoas ou momentos nos quais fomos realmente feliz.. que seja então. Deitada no sofá me peguei pensando nisso, onde eles estariam, fazendo o que, estariam felizes? aproveitando seu fim de semana? Estariam concerteza com os seus amores, pessoas nais quais as fazem feliz, e as completam, é isso que importa. Me peguei pensando em como tudo teria sido diferente, se nada tivesse acontecido, se tudo estivesse bem, eu seria tão feliz, concerteza. Eu sinto muito falta disso, de simplesmente conversar em uma lanchonete, tomando um suco, comendo, ouvindo uma música legal, aproveitando a juventude, como dizem por aí, eu sinto falta dessas companhias, por que, por mais que procure em outros lugares, nunca será igual. Eu sei o que farei da minha vida daqui pra frente, pisar no acelerador e seguir em frente. Trabalhar, buscar o meu sonho, e voltar a viver, a ter uma vida que outros jovens como eu, na minha idade tem, aproveitar enquanto eu ainda posso. Eu quero realmente isso, e principalmente sentir que estou aproveitando, sentir que estou vivendo, e não, que esses momentos passem apenas como pré estreias de algo que realmente deveria estar acontecendo, mais ainda não é a hora. Estranho, complexo.. eu sei, mais me sinto assim em dias assim, pensando em uma porção de coisas, no que era pra estar sendo, no que poderia ter sido.. e no mais importante daqui pra frente, no que vai ser. Dias assim são estranhos. E a saudades sempre está presente nesses dias também, mais diferente de antes, ela está mais amena, mais conformada, e olha para as lembranças como épocas boas e felizes. Gostaria tanto que tudo tivesse sido diferente, mais tudo toma seu rumo, e não podemos interferir no destino.
Me levanto do sofá depois desses meus devaneios, e vejo que já está amanhecendo. Mais uma manhã, mais um dia.

Antes que eles cresçam..


''...É que as crianças crescem. Independentes de nós, como árvores, tagarelas e pássaros estabanados, elas crescem sem pedir licença. Crescem com uma estridência alegre e, às vezes, com alardeada arrogância. Mas não crescem todos os dias, de igual maneira; crescem, de repente. Um dia se sentam perto de você no terraço e dizem uma frase de tal maturidade que você sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura. Onde e como andou crescendo aquela danadinha que você não percebeu?.. Elas crescem sem que esgotássemos nelas todo o nosso afeto. Por isso, é necessário fazer sempre alguma coisa a mais, antes que elas cresçam...''

(Affonso Romano de Sant'Anna)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Mudanças


Sempre as ví como uma coisa ruim, uma forma cruel e indigna de transformar o que está bom, em algo que não conhecemos. A famosa frase: "tudo que é bom, dura pouco". Bom, traduz bem o meu pensamento em relação há mudanças..
Mais devo me redimir em relação á isso, pois, de um tempo pra cá, eu ví que elas são inevitáveis, e por mais que tentamos evita-las, não tem jeito, elas sempre vão ocorrer, é o modo como lidamos com elas, que faz toda a diferença.
Percebi que, embora eu ainda não goste delas, elas são necessárias para nossa evolução, para nossa passagem aqui na terra..
Nós mudamos, o mundo muda, as pessoas mudam, tudo muda. Hoje em dia tudo muda em questão de segundos, e isso realmente me assusta, mudanças me assustam, porém, são necessárias.
O que é necessário fazer quando elas chegam? Bom, no meu caso atualmente, eu simplesmente deixo que elas façam o seu papel, e tento lidar com elas da melhor maneira possível, tentando arrancar o melhor delas, sempre. É isso que é necessário fazer, embora tudo na vida tenha seu lado bom e ruim, devemos aprender com o lado ruim, para que não volte a se repetir, e com o lado bom, devemos sugar o máximo que podemos dele, devemos tirar tudo de positivo dele, e levar conosco pra sempre.
Assim são as mudanças, como tudo na vida, com seu lado bom e ruim, depende exclusivamente de nós sabermos como lidar com elas. Minha relação com as mudanças hoje? Digamos que temos uma relação de respeito, ainda não gosto dela, mais aprendi a respeita-la, pois ela é essencial na vida de todos.. e querendo eu, ou não, uma hora ela sempre aparece, pra mim, pra todos..

domingo, 31 de outubro de 2010

.'' O ser sempre transcende a aparência...


Assim que você começa a descobrir o ser que há por trás de um rosto muito bonito ou muito feio, de acordo com seus conceitos e preconceitos, as aparências superficiais somem até simplismente não importarem mais ... "

(A cabana - William. P. Young)

"Dentro daquela saudade que não ia embora..


..Por mais que o tempo passasse e dentro dele, mesmo sem lembrar, apenas agindo, todos os dias eu acordava e tomava banho, escovava os dentes e fazia todas essas coisas rotineiras, igual a alguém que aos trancos, mecanicamente, continua a viver mesmo depois de ter perdido uma perna ou um braço que, embora ausentes, ainda doem - sem poder evitar, inesperadamente, outra vez lembrei...''

(Caio Fernando Abreu)

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Pessoas..



Sempre iguais, com as mesmas idéias, vontades, ambições, preocupações, ilusões, pretenções. Pessoas com princípios alterados, com os mesmos defeitos, com as mesmas futilidades de sempre, vivendo no seu mundo de mentira, com sorrisos mecânicos e gestos artificiais, com a mesma rotina todos os dias, com suas mentes limitadas, sempre com os mesmo conceitos pré concebidos... sempre iguais.
Cada dia mais o ser humano me cansa, tira as minhas energias, minha vontade de continuar, e por íncrivel que pareça, eu ainda respiro.. com muita dificuldade, mais ainda respiro. Eu estou cansada, mais não... não se trata de um cansaço físico, aquele cansaço no qual temos depois de uma corrida, ou uma subida. É um cansaço muito pior, é um cansaço mental, que tira minhas energias todos os dias, que suga a minha vontade de continuar, todos os dias. Eu observo as pessoas, são como robôs, como criaturas programadas. Não consigo conversar com elas, não consigo dialogar com uma espécie assim, é inútil. Elas se tornaram fantoches da selva de pedra, e uma vez que isso acontece, suas mentes se fecham, há um bloqueio, onde nada entra. É horrível. Me imagino entre elas, novamente... É uma sensação agoniante, me sufoca, me ímpede de respirar. Meu coração dispara, minhas mãos se tornam mais frias que gelo, eu tremo, um pânico surge dentro do meu peito. É uma sensação horrível. Estive prestes a ''voltar a sociedade'', mais esses sintomas me impediram de fazer essa tal façanha. Estou me preparando para esse retorno, pode ser amanhã, ou ano que vem... não sei. O que sei, é que preciso estar preparada para retornar, preparada para poder voltar a conviver com as ''maquínas'' e principalmente e mais importante de tudo, preciso estar total e completamente preparada, para que nem em meus piores pesadelos, eu me torne, um dia, como elas.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Mora com ela, a fonte do meu sorriso...



Estar com ela é esquecer do mundo, das pessoas, da mediocridade, da falsidade, do egocentrismo, da superficialidade, da auto-suficiencia forjada do ser humano.. de tudo. Estar com ela, é conseguir dar um sorriso sincero, um sorriso de alegria, natural, e não um sorriso forjado, para não expor uma tristeza antiga. Estar com ela, é pura e simplesmente voltar a ser criança.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Onde você ainda se reconhece ?


''Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora?
Hoje é do jeito que achou que seria?
Quantos amigos você jogou fora?
Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender?
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber?
Quantas mentiras você condenava?
Quantas você teve que cometer?
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você?
Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver?


Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você?''.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Sentimentos confusos.


É estranho quando me pego penssando em mim, e nas coisas que sinto, vejo e presencio. É estranho também, ver como me sinto diferente de todos, deslocada é a palavra mais exata. Há 19 anos vim parar aqui, nesse mundo, e desde que me entendo por gente, me sinto assim. Um sentimento no qual não consigo explicar. É como se aqui não fosse meu lugar, como se eu vivesse exclusivamente para acha-lo. Por mais que eu ouça de outras pessoas ''sua vida é essa, começe a vive-la, depois, quando você quizer recuperar essa fase, será tarde demais''. Mais é estranho, são palavras e conselhos estranhos a mim, por que, sinto justamente o oposto, sinto que não estou vivendo-a. É uma tortura, um sentimento de ausencia, de falta, de angustia e impotencia, na qual não consigo explicar. Talvez eu já tenha vivido, de fato, e a perdi. Talvez, ela ainda esteja esperando por mim, mais ainda não está no momento certo de eu te-la. Eu sei, tenho ciencia plena de que a vida é feita de momentos, e que os momentos, se não forem bem aproveitados, passaram, e eu passarei com eles. Dia após dia, ano após anos. Mais como aproveitar tais momentos plenamente, e vive-los, quando você nem ao menos os sente passar? Como curtir cada um com extrema vivacidade e felicidade, quando eles são apenas dias a mais, dias iguais?
Você tem ciencia de tudo em sua volta, das pessoas, dos dias, dos momentos. Mais é como se fossem apenas... pré estreias, de algo que você realmente deveria estar vivendo. É como se fossem trailers, que passam rápido, antes do tão esperado filme. É estranho, estranho e assustador, se sentir dessa maneira, esperando por algo, esperando.. esperando.. por algo, que talvez nunca chegue, ou não exista, ou.. Não sei dizer, mais é assim que sinto, e sempre me senti, deslocada do mundo, de todos. Quando achei que tinha me encontrado em algum lugar.. esse universo de dissipou.
Mais, estou seguindo, ainda esperando.. Pelo o que? Eu não sei, ainda não tenho essa reposta.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Saudades de mim!


Olhando velhas fotografias, em um dos meus momentos nostálgicos, me deparei com uma especial. Uma de meus 17 anos, há dois anos atrás. Observando a pessoa do retrato, percebi que ela se fora. A menina que lá está, com os olhos brilhantes de excitação e felicidade, se fora, o sorriso tímido, feliz, se fora também. Para sempre, concluí eu, ao terminar de analisá-la. O mais engraçado, de tudo, é que aconteceu a apenas dois anos. De uma menina, cheia de sonhos, esperanças, alegrias e um mundo. Me tornei áspera, seca, ignorante, melancólica.
Hoje, me vejo nos retratos daquela época, não que um dia eu não fora áspera, seca e ignorante. Mais nessa época de minha vida, eu havia esquecido como era ser assim, eu tinha motivos, eu tinha cores, eu tinha .. eles. Que me impulsionavam, que me faziam acreditar de novo na vida. Uma vida solitária que antes eu possuía. Mais... acabou, como se acaba um sonho, um sonho bom, no qual estamos dentro, e queremos permanecer para sempre. E, voltei. De volta a realidade, a triste realidade da solidão, do amargo vazio que deixaram, quando partiram e das lembranças.. Lembranças que deveriam ser como uma bela melodia. Mais em minha mente, se tornam uma triste e melancólica passagem. Elas vem, me assombram, sim, me assombram, por que meu coração dói, e essa dor, é pior que uma dor física. Rasga meu interior, dilacera minha alma. É uma ferida imensa, que não cicatriza, não sara. E as lembranças vem como forma de punhal, para abri-las ainda mais. E então.. elas transbordam, pelos olhos. Gotas imensas e espessas saem rolam pelo meu rosto, e a dor, rasga o peito, uma dor muito pior, e muito mais presente que qualquer dor física. Sim, ela está sempre presente, mesmo em momentos de distração, ela se encontra lá, sempre a espreita, para reaparecer, com mais força e intensidade. Se foram, mais uma vez, e deixaram a saudade. Como diz Mário Quintana: "Da primeira vez que me assassinaram, perdi um jeito de sorrir que eu tinha... depois, de cada vez que me mataram, foram levando qualquer coisa minha..." E dessa vez, levaram minha alma, meu sorriso. Aquele da foto, aquela menina feliz... que eu não conheço mais. Ela se fora, para sempre, isso é fato. Restou-me apenas minha família, que agora é o meu mundo. E se um dia esse mundo chegar a desaparecer, então. Desaparecerei junto dele, pois não terá mais sentido estar aqui. Perdi uma das coisas que mais me eram importantes na vida. Agora, só resta eles. Mamãe diz ''Você arranja outros''. Dúvido! Não são como brinquedos, ou roupas, ou sapatos que substituimos com o tempo. São pessoas, nais quais amei, amo, e amarei até o ultimo dia de minha vida. Não importa o que ocorra, não importa o tempo que passe e não importa quantas chegarem. Ninguém os substituirá. Três anos, quase três anos se passarão. E estão mais vivos do que nunca em mim, mais presentes do que nunca, mesmo distantes. No coração e na mente não mandamos. E o passado, junto com as lembraças, fazem de mim, hoje, alguém apagada, sem luz, uma ''saudade imensa, cercada de carne por todos os lados'', como díria Rubem Alves. Uma saudade gigante, que sente falta daquela garota alegre, despreocupada, feliz com tudo e todos, que sorria, mesmo que seu coração estivesse triste, e que ainda conseguia ver algo de bom, em tudo, e em todos...

Ah! Como eu sinto saudades daquela menina.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010



.''O amor é quando a gente mora um no outro''.

(Mario Quintana)